Este é um convite para conhecer os tempos e os espaços mais significativos do processo de construção e vivência do projeto Escolas Transformadoras, que decorreu entre 2018 e 2020, no cruzamento de três territórios, pela iniciativa da Fundação Gonçalo da Silveira, o Instituto Politécnico de Beja, a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém e a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo.

Um processo que é fruto de uma relação e base de trabalho já iniciada anteriormente, noutras iniciativas em que estas organizações se envolveram e inspiraram, e que teve como alicerce fundamental a dimensão colaborativa.

Um processo que envolveu vários atores e instituições, motivou diferentes experiências, práticas e caminhos de transformação (pessoal e coletiva), mas que fica ligado pelas reflexões e as aprendizagens que foram dando corpo e ritmo a este processo e o sentido comum de querer promover Escolas Transformadoras, numa perspetiva de ED/ECG.

Navegue, em baixo, pela linha de tempo do projeto e abeire-se dos passos dados, dos produtos idealizados e das aprendizagens construídas.

A FGS - Fundação Gonçalo da Silveira é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento com trabalho na área da Educação para o Desenvolvimento / Educação para a Cidadania Global (ED/ECG) desde 2007.

Focada na reflexão e ação sobre as desigualdades e injustiças sociais existentes, a FGS trabalha a partir de processos de aprendizagem que possam ser transformadores, procurando trabalhar de forma colaborativa com vista ao Bem Comum. Tem desenvolvido vários projetos neste âmbito, alguns deles na área da Educação Formal em conjunto com outras ONG, escolas, instituições de ensino superior e educadores/as e professores/as desde o ensino Pré-escolar ao Universitário. O trabalho colaborativo é um dos seus princípios-chave, bem como a horizontalidade das relações e a promoção do pensamento crítico. Em todo o trabalho que faz, assume como essencial e parte do processo transformador a desconstrução de narrativas geradoras de injustiça social, com vista à equidade, igualdade e justiça social. Do seu historial com as Instituições de Ensino Superior faz parte o projeto Sinergias ED, a partir do qual aprofundou relação e trabalho com as Instituições de Ensino Superior que integram este projeto.

O Instituto Politécnico de Beja (IP Beja) foi criado em 1979 e inclui quatro Unidades Orgânicas (ESA, ESE, ESS e ESTIG) que abrangem diferentes áreas do conhecimento, visando o desenvolvimento de processos ativos de capacitação, baseados em aprendizagens que promovam um alto nível de autonomia, competência técnica e conhecimento científico também nas áreas educativa, social e cultural. As atividades de investigação são geridas de forma multidisciplinar e criam sinergias com a comunidade, parceiros nacionais e internacionais.

O IP Beja no âmbito do projeto Sinergias ED, participou no grupo colaborativo que trabalhou sobre a validação do “Referencial para Capacitação em Educação para o Desenvolvimento - uma proposta Sinergias ED”. Mais recentemente, enquanto instituição parceira do projeto Escolas Transformadoras, a sua ligação à ED/ECG foi potenciada pelo envolvimento de maior número de docentes e estudantes e mesmo pelas atividades e ações levadas a cabo.

A Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém (ESE-IP Santarém) tem um historial significativo no desenvolvimento de projetos (quer nacionais, quer internacionais), nas mais variadas áreas, desde a educação não formal à formação (inicial e contínua) de docentes. Desde 1998 que tem vindo a consolidar a sua relevância e potencial no domínio da educação para a cidadania e igualdade de género, nomeadamente no desenvolvimento de recursos pedagógicos e na formação contínua de docentes.

Mais recentemente, a ESE-IP Santarém tem vindo a reforçar o trabalho desenvolvido no âmbito da Educação para o Desenvolvimento e para a Cidadania Global (ED/ECG), tendo realizado, em dezembro de 2016, o Encontro Educação e Desenvolvimento - Do Compromisso Local à Cidadania Global e, desde então, tem integrado as várias edições do projeto Sinergias ED.

Em 2018, integra o projeto Escolas Transformadoras e a ED/ECG vem, progressivamente, assumindo um espaço de relevo nas metodologias e práticas da ESE-IP Santarém, no âmbito dos seus diferentes cursos.

A Escola Superior de Educação de Viana do Castelo (ESE-IPVC) é uma unidade orgânica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, em funcionamento desde 1986. Atualmente oferece formações de ctesp, licenciatura, pós-graduação e mestrado nas áreas da Educação, Artes e Gerontologia.

A ESE-IPVC tem desenvolvido, desde 2011, uma ação na área da Educação para o Desenvolvimento (ED) que lhe tem permitido consolidar um papel fundamental entre os atores de ED em Portugal. Ao nível de projetos, destacamos pela sua importância a colaboração no acompanhamento e avaliação da ENED (2010-15 e 2018-22) e a participação em programas europeus como o “Global Schools: Aprender a (con)viver” (2015-18) e o “Get up and Goals! Global Education Time” (2018-2020). Ao nível da oferta formativa em ED, esta tem acontecido em formação inicial de professores, ao nível da licenciatura (com destaque para a UC de Iniciação à Prática Profissional) e de mestrado (dissertações na área de ED), em formação contínua de professores e outros agentes educativos, incluindo técnicos da autarquia, e ainda em formato de educação não formal (ciclo de cinema, workshops, comemoração de efemérides, etc.).

No decurso do projeto Escolas Transformadoras (2018-2020), a intervenção em ED foi alargada a todas as áreas de formação da ESE-IPVC e foram ainda estabelecidas sinergias com vários outros projetos em curso, entre os quais se destaca o projeto Eco-Escolas.